Tô Pensando em contos... Um dedo de Chronos



Um dedo de Chronos



Ele estava dizendo que viver não passa de uma questão de matar o tédio. E só, absolutamente.
 Nunca antes conversara com alguém tão lúcido e honesto. Terrivelmente honesto.
- “Como se fosse possível matar o tempo sem ferir a eternidade” - ela devolveu.
- Não é questão de matar o tempo, somente preencher – ele explicou - Estar vivo não é muito mais do que estar em um grande parque cheio de opções. Basta a gente escolher se vai à montanha russa, à roda gigante, se vai tomar sorvete ou sentar e ver os outros brincando. Todos teremos que ir embora do parque uma hora, isso é certo. Ao menos que brinquemos no que gostamos.
- Como diria o bom e velho Gandalf, “tudo o que precisamos decidir é o que fazer com o tempo que nos é dado”.
- Boa. Enfim, ficar se preocupando e levando os brinquedos a sério demais não faz sentido. A vida é a mesma coisa: se vem do nada e vai para lugar nenhum, preocupações também (porque, sabe, fora de nós nada se preocupa com nada. A vida não dá a mínima). Imagine que vou espernear por tão pouco. Onde existe tempo, nada é, somente está.
- Sempre achei essa coisa ‘carpe diem’ uma grande babaquice. Ninguém acredita de verdade nisso.
- Não estou dizendo para a gente sair sendo um otário que não sabe medir grandes consequências. Evitar se machucar ou ser preso é importante. Ainda caímos no clichê plantar-e-colher.
- Afinal, é por isso que você estuda tanto? – A moça quis saber.
- É uma lei que se aplica a tudo. Estudo porque vejo sentido nisso, dentro do possível. Conhecimento é um passatempo interessante. Uma forma legítima de matar o meu tédio.
- Um sonho.
- Chame como quiser. 




















8 comentários:

  1. Oi, Allana!!
    Adoro as quartas!! Por que é dia de ler contos!! Gostei bastante!! Bela analogia sobre a vida!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  2. Um conto mais admirável que o outro dignos de ser lido, ótimo conto fico torcendo para que essas quartas chegue logo para ler um novo conto mais incrível que o outro.
    Abraços!!

    ResponderExcluir
  3. que legal, a mensagem que o conto passa é bem bacana, devemos procurar viver plenamente, não apenas coexistir no universo

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Allan!
    Na minha opinião só levamos duas coisas da vida: o conhecimento adquirido e o amor que distribuímos...
    No mais, é mesmo só preencher o tempo.
    “Existe apenas um bem, o saber, e apenas um mal, a ignorância.” (Sócrates)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  5. Oi.
    Parabéns pelo conto.
    Ótima reflexão sobre a vida! Sempre é bom ler textos nesse estilo e bem escritos.
    Que venham outros.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Hoje foi mais uma crônica do que um conto. E que crônica, digo eu!
    A vida é senão somente, um parque de diversões, onde sim, muitos passam a vida ali, sentadinhos olhando o movimento. Enquanto outros, se divertem como podem nos vários e vários brinquedos.
    E isso tudo pode acontecer fora de nós, como também, dentro de nós!
    Adorei!
    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Oi Allana!
    Lindo conto viu, sem contar a reflexão que nos trouxe...Gostei mto!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Adorei!
    A melhor parte é a que diz que onde há tempo nada se é, somente está. Isso faz absolutamente todo o sentido.
    E sim, estamos em um parque de diversões com seus altos e baixos de uma montanha-russa e uma hora o parque tem que fechar.

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© To Pensando em Ler - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo