Tô Pensando em Contos... Crônica - Enfia o talento...





ENFIA O TALENTO NO C*



Outro dia, em uma roda de conversa com amigos, um assunto muito sensível para mim foi colocado em pauta: talentos, dons e vocações. Eu me considero uma pessoa sem nenhum dom, vocação ou talento inato. Por esses motivos, acabei levantando o fato de eu não acreditar nesse determinismo todo, as pessoas desenvolvem suas habilidades se são estimuladas e pela prática e insistência. A resposta ao meu argumento foi uma enxurrada de “que absurdo” e “tenho amigos que desde criança sempre foram bons”.

O que as pessoas não entendem desse meu argumento é que ele não é uma forma de ofender as ditas pessoas talentosas, pelo contrário, é uma forma de enaltecer o trabalho duro delas. Talvez a parte mais ofensiva do meu argumento é que ele diz que algumas pessoas são “uns bostas” porque não tentaram o suficiente ao invés de simplesmente esperarem que um ser divino descesse e fizessem deles o próximo Picasso (perceba que não estou falando de meritocracia e de oportunidade, apenas de esforço individual).

            Gênios existem, mas eu sinceramente nunca vi uma criança que em seu primeiro desenho já fizesse um retrato super realista ou pelo menos com algum estilo artístico. Lógico que alguns naturalmente desenham melhor que outros, existe uma provável inclinação genética a desenhar melhor, compreender músicas melhor, escrever e se comunicar melhor. O que as pessoas ignoram é que se tudo estivesse gravado em pedras, do que adiantaria tentar aprender algo ou ser melhor, tudo já estaria destinado.

Ouvi uma história de uma pessoa que queria contratar um pintor para fazer um desenho de um papagaio. Foi até o artista e perguntou o preço, ele respondeu que seriam dois mil reais, o contratante aceitou e o artista prosseguiu. Pegou seus materiais e desenhou um papagaio em cinco minutos. O contratante indignado questionou o preço, já que ele levara apenas alguns minutos. O artista serenamente levantou, e abriu a porta de um quarto, que tinha paredes cheias de desenhos de pássaros.

O seu trabalho não se resume só ao que você executou de bom nos últimos minutos.

Por exemplo, toda vez que eu encontrar alguém de corpo definido, tanquinho ou sei lá, eu direi “nossa, mas que pena que eu não nasci pra isso” e se ele responder que eu só preciso treinar, ficarei indignado e direi que claramente ele nasceu pra isso e eu não, já que sou gordo.

Eu escrevo, hoje em dia, como a maioria de vocês sabem, mas eu não comecei ontem, e menos ainda comecei com a técnica e controle de um texto da maneira que eu tenho hoje. Eu faço aulas de escrita criativa há anos, eu fiz cursos, leio livros sempre que posso, mas as pessoas não verão isso, apenas o meu texto, que eu fiz nos últimos 30 minutos. Ninguém vai perguntar quanto você investiu e se dedicou nisso, ninguém se importa. Apenas com a parte em que você se torna bom o suficiente para aos olhos dos outros se tornar um “talento”.

Já falei antes, e insisto, que não me considero um talento. Escrevo bem, e poderia ser mil vezes melhor. Não me recordo de ninguém me dizendo que sou talentoso, nem nada do tipo. Eu entendo que as pessoas só estão tentando te elogiar, porém quando acontecer de alguém me dizer isso, eu irei responder em alto e bom som, “Talento de c* é *ola”. Aqui, só tem esforço e trabalho duro.














Paulo Vítor Mendonça






Compre já















5 comentários

  1. É...isso é a dura e mais cruel realidade. E mesmo não considerando um conto o que li acima(pra mim, foi desabafo), foi muito bom de se ler!!
    Poucos hoje se esforçam de verdade para colocarem seus dons à tona.
    Vêem o que a pessoa faz agora, mas não percorre sua jornada até ali. É como um médico que cobra 400Reais por consulta. Um absurdo. Mas ninguém se questiona para pensar no quanto esse médico teve que estudar, passar noites em claro, perder finais de semana...
    Adorei!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá, Paulo.
    Eu estava falando sobre isso exatamente ontem. Uma pessoa conhecia minha reclamação de uma consulta médica que custava R$ 300,00 e que o médico não demorou nem meia-hora para descobrir a doença. Eu falei exatamente isso: esses R$ 300 são justos, pois não são pelos 30 minutos, mas pelos anos de esforço que o médico precisou para chegar na qualidade que tem.
    No quesito específico do escritor, vejo da mesma maneira. Eu, por exemplo, leio com muita frequência livros técnicos, que são incrivelmente mais caros que os livros literários. Tenho livros de 300, 400 reais. Porém, é compreensível. Não estou pegando pelo livro, mas pelos anos que o autor levou para se tornar um especialista naquele assunto.
    Falar em talento, acreditando que alguns possuem dons extraordinários e milagrosos e por isso possuem um sucesso grande é, sem dúvida, reduzir o esforço de quem tanto trabalho. Como você bem disse, é pra mandar mesmo enfiar o talento no...

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de agosto. Serão dois vencedores e um deles levará um vale compras!

    ResponderExcluir
  3. Ual Paulo! Gostaria de flar exatamente isso á algumas pessoas que perdem tempo criticando o talento ou msm a falta dele por aí, qrendo crescer pra cima de outras pessoas...
    Digno de mandar msm enfiar naqueele lugar!
    Adoreei!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. seu texto além de muito bom é daqueles que dá vontade de compartilhar na rede social, de imprimir e colar na parede! todos temos potencialidades e capacidades, mas temos que trabalhá-las http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá.
    Parabéns pelo texto o por expressar em palavras, tão bem esse assunto e com muita sinceridade. O trabalho, o esforço e a perseverança é que determinam o talento. Abraços.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...