Resenha: O Muro



Título: O Muro

Autores: Céline Fraipont e Pierre Bailly

Páginas: 190

Editora: Nemo




COMPRE AQUI: FNAC, BUSCAPÉ,  SUBMARINO











     "O Muro" é uma graphic novel com uma trama comum para os jovens dos anos 80. Uma história como a de muitos outros adolescentes, e talvez por isso, ou melhor, justamente por isso é que este livro consegue falar diretamente com o coração e com a memória de muitos.







     Neste livro vamos conhecer Rosie, uma garota de treze anos que teve que crescer de um dia para o outro, ser adulta, ou pelo menos agir como uma passou a se tornar sua única opção.

     O pai sempre trabalhou demais, a afinidade entre eles é nula.

     A mãe fugiu com o amante e abandonou a filha com o pai.

     O pai não parou a vida por causa disso, muito pelo contrário, agora ele passa ainda mais tempo viajando a negócios. Sua única função é deixar o dinheiro necessário para Rosie sobreviver e deixar as contas pagas. Em nenhum momento ele conversou com a filha sobre o que aconteceu. É como se a mãe nunca tivesse existido.






     Rosie é extremamente sozinha, e a cada dia que passa ela vai se isolando mais e mais.

     Muitos desses momentos de solidão ela passa em cima de um muro, às vezes bebendo, às vezes fumando, ou somente pensando.

     E é enquanto ela está no muro que ela conhece Jô. Um garoto tão sozinho quanto ela.

     Juntos eles se completam, mas com o tempo, começam a se dividir.

     Não vou entrar em detalhes, mas adianto que é lindíssima essa história. Ainda mais por ser regada com o mais puro rock'n roll, ou melhor, o punk rock, o som dos anos 80. Década das descobertas.






     Apesar da trama ser pesada, a autora narra com muita leveza. É narrado em primeira pessoa, o que é perfeito porque Rosie passa muito tempo sozinha, então lemos seus pensamentos.

     Os traços, ao contrário da narrativa, é bem mais forte. É em preto e branco, mas a maior parte é usado muito preto e com traços carregados, como se fossem rabiscos feitos com muito ódio.






     E mesmo assim os dois autores conseguiram mostrar uma Rosie doce e inocente que só queria chamar a atenção, quase gritando por socorro.

     Amei cada traço e cada palavra!!






     Recomendadíssimo para todos os leitores!!!











LEIAM!!!

















Comente, clique na imagem e participe:

9 comentários:

  1. Uau!!!Eu sou fascinada por ilustrações. E pelo que vi e li acima, este pequeno livro é carregado não somente de dor, de detalhes, mas também em vida, mesmo a protagonista sendo tão jovem.
    Que bagagem pesada a dela..e o muro, não o muro de cimento, mas o muro que foi criado por ela, como forma de tentar se proteger, fica nítido em cada desenho!
    Lista de desejados, agora!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Olá, Lelê.
    Já estava querendo ler O Muro, com uma resenha tão positiva então... Impossível não ficar querendo!
    A obra parece ser incrível, principalmente por carregar essa carga psicológica e de dor tão forte. Além disso, punk rock na literatura é demais.
    Vou querer conferir, com certeza!!

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de setembro. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
  3. oi flor, eu gostei bastante da premissa, me parece ser uma história bem envolvente e como ainda não li nada em quadrinhos acho ainda mais interessante
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. LeIê,amei graphic novel O Muro,achei tudo de muito bom gosto e concordo com você ,apesar do tema tratado ser bastante denso e pesado ,os autores desenvolveram com muita leveza o caminho dessa personagem ,que só grita por socorro.Beijos!!!!

    ResponderExcluir
  5. Não gosto muito de graphic novel, mas acredito que é mais questão de costume (velho cria manias!). Gostei da resenha e achei interessante o assunto.
    Parabéns por seu trabalho. Bjoo

    ResponderExcluir
  6. Lê!
    Anos 80 foi minha adolescência, regada a muito rock and roll, mas sem nenhuma solidão.
    Deve ser uma história intensa e gostei das ilustrações.
    “Creio no riso e nas lágrimas como antídotos contra o ódio e o terror.”(Charles Chaplin)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  7. Oi Lele! Eu estava esperando esta resenha desde que vi seu vídeo de caixa de correio. Adorei o que você citou e ter esta pegada anos 80 é algo que por si só já me encanta, um cenário musical maravilhoso. Com certeza irei ler.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  8. Quando vi na sua caixa de correio fiquei louca pra saber como era/1 Adoro quadrinhos, em especial graphic novel. Parece ser ótimo! Quero ler já! hahaha
    Livros, Amor e Mais

    ResponderExcluir
  9. Lêeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee.
    Preciso deste livro mais que urgentemente, já havia adorado, mas agora é amor eterno, preciso completar minha ligação com ele (se me entende), agora me fugiu a memória e preguiça me bate, você o ganhou?????????

    Bjsssssss

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© To Pensando em Ler - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo