31 de agosto de 2015

Resenha: Futilidade ou o Naufrágio do Titan


Título: Futilidade ou o Naufrágio do Titan   

Autor: Morgan Robertson

Páginas: 112






COMPRE AQUI: CULTURA,  BUSCAPÉ














     Eu estava tão curiosa em relação a este livro!!! Vocês não tem ideia do quanto!!

     Não que eu tivesse criado uma expectativa, era mais curiosidade mesmo; pois o livro é cheio de coincidências e mistérios, fora que ainda é chamado de profético por alguns leitores.


"Era o mais largo navio já criado, e o mais estupendo dentre os trabalhos do homem. Em sua construção e manutenção, estavam envolvidos cada cientista, profissional e comerciante conhecidos pela humanidade."
àg. 7


     Logo no início somos apresentados ao Titan, o maior e mais imponente navio já construído. Inatingível e inafundável. Cheio de luxo e riqueza. Seus construtores acreditavam tanto que o Titan não naufragaria de maneira nenhuma que nem se preocuparam com botes salva-vidas e muito menos com coletes ou boias.

     Mas isso tudo vai por água abaixo literalmente, quando o Titan bate em um iceberg.

     Você acha que conhece essa história?? Tá pensando que é uma cópia do Titanic que naufragou em 1912??

     Aí é que está a tal profecia da qual eu falei no início da resenha.

     "Futilidade ou o Naufrágio do Titan" foi lançado em 1898, quatorze anos antes do Titanic.


"Setenta e cinco toneladas acelerando pela neblina a uma velocidade de quinze metros por segundo: um peso morto, colidindo contra um iceberg."
Pag. 47


     Fora isso também seremos apresentados a John Rowland, um homem boêmio, um beberrão que trabalha no Titan, um marinheiro sem perspectiva nenhuma na vida.

     Anos antes de Rowland se tornar um marinheiro do Titan, ele foi namorado de Myra, uma jovem de família e muito religiosa.

     O namoro dos dois chegou ao fim quando Rowland confessou para sua amada que é ateu e não tem fé em nada.


" - Você está ciente, Rowland, que estará sozinho? Que será desacreditado, perderá sua vaga e fará inimigos?"
Pag. 28


     Mas agora Myra reencontrou Rowland no Titan. Só que agora Myra está casada e é mãe de uma menininha.

     Até aí tudo bem, mas quando acontece o naufrágio, a filha de Myra vai parar junto com Rowland e ele salva a garotinha.

     Depois de tudo isso, um monte de coisas acontecem, e entre elas toda a discussão sobre moral e religião que eu achei bem interessante.

     Gostei demais de Rowland, mas achei a Myra tão entojada, rs. Não fui com a cara dela.

     "Futilidade ou o Naufrágio do Titan" é uma noveleta, ou um conto estendido. A leitura não é nada difícil e é bem rápido.

     Por ser um clássico com uma linguagem diferente, por se tratar de temas marinhos, eu achei que seria uma leitura bem complicada, mas a tradução está impecável e tem muitas notas de rodapé que explicam tim tim por tim tim todas as palavras mais complicadas e desconhecidas para quem não entende nada desses termos nauticos.

     Além disso, a revisão também está perfeita e a diagramação impecável. A capa é belíssima. Eu amei o trabalho do selo "O Melhor de Cada Tempo"!! Não tenho nada de negativo para falar da obra.

     Amei este primeiro contato e quero muito mais!!

     Outra curiosidade sobre o autor que vale a pena vocês saberem:

     Morgan Robertson também é autor de "Para além do Espectro" que foi publicado em 1914, e neste livro ele narra a história de uma grande guerra náutica entre os EUA e o Japão. Esta guerra aconteceu depois da morte do autor, que se foi em 1915.

     Rodeado de mistérios, o autor deixou obras que devem ser conhecidas por todos.

     Livro mais que recomendado!!!









6 comentários:

  1. Puxa, então seria o antecessor de Titanic??
    Que coisa...rs
    A gente fica se perguntando se não seria uma profecia ou quem sabe, uma brincadeira do destino.
    Mas..questionamentos a parte, capa é lindíssima e a história tem aquela pegada que prende do início ao fim.
    Lista de desejados, com certeza!!!
    Quero demais conhecer esse estilo.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Lelê, eu acreditava que o livro era uma versão da tragédia do Titanic, não podia imaginar que ele havia sido escrito anos antes! existem mesmo autores com uma capacidade de imaginação incrível, quase como se adivinhassem o futuro, é, inclusive, por estas e outras que gosto tanto do Julio Verne.

    Dois abraços! ;)

    ResponderExcluir
  3. Olá, Lelê.
    Isso que eu chamo de uma previsão literária um tanto funesta. rs Acho que o Titanic quis fazer igual ao livro.
    Quanto à premissa, adorei! Além disso, por se tratar de um clássico, já entra para a minha lista de leitura. Adoro ler essas obras mais consagradas. Geralmente elas agregam bastante na nossa carga leitora.
    Excelente dica.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de agosto. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
  4. O livro parece ser ótimo, história bastante interessante, curto muito um mistério, fiquei doida pra ler!

    ResponderExcluir
  5. deu até um arrepio agora! depois de tantos elogios é claro que quero ler e descobrir mais!

    felicidadeemlivros.blogspot.com.br/2015/08/resenha-segredos-de-uma-noite-de-verao_80.html

    ResponderExcluir
  6. Le!
    O livro é predestinado mesmo...
    E toda a questão religiosa, deve ser um livro no mínimo intrigante.
    Gostei muito.
    “A dúvida é o principio da sabedoria.”(Aristóteles)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!