Resenha: Eu, Robô


Título: Eu, Robô

Autor: Isaac Asimov

Páginas: 315

Editora: Aleph  





COMPRE AQUI: SARAIVA,  FNAC,  SUBMARINO,  AMERICANAS,  BUSCAPÉ,  AMAZON












     Todos aqui já me viram dizer que Asimov é genial!! Isso nem é mais surpresa pra ninguém. Porém, o mais impressionante é o quanto Asimov me faz ficar mais embasbacada a cada livro que leio dele. 

     "Eu, Robô" é um livro de ficção científica com tudo que uma boa ficção científica tem que ter, mas com uma linguagem tão simples e envolvente que até quem não é fã do gênero vai apreciar muito a leitura.


" - Temos o seguinte. A primeira: um robô não
pode ferir um ser humano ou, por inação,
permitir que um ser humano venha a ser ferido.
- Certo!
- A segunda - continuou Powell - : um robô deve
obedecer às ordens dadas por seres humanos, 
exceto nos casos em que tais ordens entrem
em conflito com a Primeira Lei.
- Certo!
- E a terceira: um robô deve proteger sua própria
existência, desde que tal proteção não entre
em conflito com a Primeira ou com a Segunda Lei."
Pag. 65


     O livro consiste em nove contos divinamente organizados para compor a obra. 

     Mas eu juro que não foi isso que li, rs. 

     A organização dos contos está tão bem feita que é como se eu tivesse lido um livro de memórias. Impossível não se envolver e realmente acreditar que está lendo um livro único.

     Logo no início somos apresentados a psicologa roboticista Susan Calvin. 

     Susan hoje tem setenta e cinco anos, trabalhou a maior parte da sua vida na U.S. Robots e está disposta a contar tudo sobre sua vida e a evolução dos robôs, seus estudos e seus cérebros positrônicos.

     O primeiro conto é do ano de 1996 e conta a história do primeiro robô fabricado e vendido para ser babá. Os primeiros robôs eram mudos. 

     E é então que vamos conhecer Robbie. 

     Se você acha que histórias de robôs são frias e puramente fórmulas e cérebros positrônicos e sem emoção; você precisa ler Robbie. Impossível não se apaixonar, não criar um certo ódio da humana ridícula que maltrata o robô. A narrativa do autor é tão incrível que eu fiquei emocionada pelo robô e querendo mais é que a humana sumisse. 


"Você é o modelo mais avançado de robô
já desenvolvido, e, se demonstrar a capacidade
de administrar esta estação de maneira 
independente, nenhum humano jamais
precisará vir aqui de novo, a não ser para
trazer componentes para fazer reparos."
Pag. 82


     À partir do primeiro conto vamos descobrir a evolução dos robôs, o quanto eles se tornaram importantes e imprescindíveis para os humanos, mas o quanto isso trouxe de problemas. 

     Pois a cada evolução de um robô mais autônomo ele se torna, mais independente, mais inteligente, até que ultrapassa o ser humano em tudo.

     São muitas questões tratadas aqui, até mesmo a religião. É incrível!!!


" - Eu leio mentes, sabe - continuou o
robô -, e a senhora não tem ideia de como
elas são complicadas. Não consigo entender
tudo porque a minha mente tem tão pouco
em comum com elas... mas eu tento, e os
seus romances ajudam."
Pag. 141


     Todos os contos estão ligados e há uma evolução, por isso eu realmente acreditei que eram  as memórias de Susan, e assim a história se tornou única na minha mente. Torci, amei, me emocionei, ri muito!!! A cada conto uma nova emoção e um novo sentimento surgia. E no final o prazer de ter lido mais uma obra genial do autor foi o que ficou!

      Recomendo a leitura para todos. Até para quem diz não gostar de ficção científica. Todos deveriam um dia na vida ler Asimov!!!

     E quanto a edição da Aleph; está perfeita. Tradução, revisão, diagramação, ilustração, tudo lindo!!! Da capa à contra-capa é tudo impecável!!!

     Amei!! Cinco estrelas!!!



12 comentários

  1. Sou apaixonada pelo trabalho que a Aleph faz com seus filhos. Uma capa mais linda que a outra, sempre!
    Havia visto ou lido alguma coisa sobre este livro há uns dias, mas nem havia parado de fato para ler.
    Ficção científica não é meu forte. Não por não gostar realmente do gênero, mas por sempre ficar totalmente perdida nas histórias.rs
    Mas depois dessa resenha e da paixão impressa por Asimov, serei obrigada a procurar este livro e deixar que os contos também virem lembranças em minha memória!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Olá, Lelê.
    Esse trabalho do Asimov é simplesmente genial. Ele interliga tão bem os contos que realmente parece que foram escritos em sequência para compor esse livro de memórias, o que não é bem verdade.
    Cada vez mais eu fico pasmo com a capacidade do autor de tratar de assuntos tão diferentes numa mesma obra. E também de criar tantas problemáticas a partir de três leis tão simples.
    Adorei a resenha, Lelê!

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de junho. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  3. Eu sabia de um filme com esse nome, mas é a primeira vez que ouço falar sobre o livro. Ele parece incrível! Espero conseguir ler em breve...

    :D

    ResponderExcluir
  4. O livro parece ser mesmo ótimo, curto muito ficção científica, Asimov é excelente, fiquei super interessada em ler.

    ResponderExcluir
  5. Eu vi o filme mas não sei se é o mesmo. Eu comprei esse livro há muito tempo, foi pra fila de leitura e ainda está lá. Mas vou pegar ele assim q acabar o q estou lendo.

    ResponderExcluir
  6. Lele!
    Nem sei se já contei por aqui, porém meu contato com Isimov veio da infância onde comprava umas revistas escritas por ele e viajava em seus contos e ideias, até na época me arrisquei em escrever alguns contos... imagina uma criança de nove anos escrevendo contos de ficção..kkkk
    E de lá para cá, minha paixão por ele só aumentou.
    Eu robô é maravilhoso e nos faz conhecer um outro lado das máquinas.
    “Só sei que nada sei.”(Sócrates)
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Lele! Eu ainda não li nada do autor, mas dada sua empolgação dá vontade de sair e comprar o livro agora. Este é um gênero que leio menos do que gostaria e preciso corrigir isso, vou seguir suas indicações e em breve conhecer Asimov.

    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  8. Olha nunca ouvi falar desse autor e se já ouvi foi pro esquecimento e confesso que se não fosse por sua resenha eu nem teria vontade de ler esse livro porque juro que essa capa me deu um pouco de medo, mas agora bateu uma vontade de ler esse livro que vou procurar pra saber mais do autor.

    ResponderExcluir
  9. oi flor, eu não sou muito atraida por estes enredos, mas vê-la comentando tão bem é animador!
    espero que em breve eu leia e possamos papiar sobre o livro
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Passei só porque vi o mestre Asimov por aqui acenando e as conexões de seu cérebro positrônico piscando enlouquecidamente. A leitura é muito boa, né? Concordo plenamente quanto a simplicidade do texto e que ele é bem abrangente, não é preciso ser fã de ficção científica para entender. Vivas ao mestre!!!

    Ace Barros
    Capitão do drakkar Interlúdio, navegando pelo Multiverso X
    multiversox.com.br

    ResponderExcluir
  11. Já vi o filme mas não conheço o livro nem o autor. Preciso ler mais ficção cientifica!!! Vou anotar a dica. E a editora é a referencia no gênero.
    Abraços,
    Gisela
    @lerparadivertir
    Ler para Divertir

    ResponderExcluir
  12. Lelê, Asimov é um gênio, seus textos são perfeitos, nos envolvem de forma única. Li o "Eu, Robô ainda no colégio, em uma edição de outra editora, e gostei bastante de ver "nascer" aquela que talvez seja a maior contribuição do autor para a ficção científica - além de suas obras em si, claro - que são as leis da robótica.

    Excelente resenha ;) Dois abraços!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Topo