Resenha: Longe Demais


Título: Longe Demais

Autora: Jennifer Echols

Páginas: 229

Editora: Pandorga




COMPRE AQUI: SARAIVABUSCAPÉ









     Ah! Se todo YA fosse assim!!!




"Esta noite eu vestia uma camiseta decotada que
dizia "pressão social", na esperança de seduzir
Erick para outra aventura sexual. Mas até 
parece que ele precisava de alguma sedução,
ele era praticamente autossedutível."
Pag. 10


     Meg é a garota adolescente problema. Nem era para ela ser assim tão problemática, não é uma menininha, já está terminando o ensino médio e se preparando para ir pra faculdade em outra cidade. 

     A história começa com ela, Erick, que só posso chamar de ficante, pois ele não é o namorado, mas ela sai com ele às vezes. Também estão juntos Tiffany e Brian.

     Os quatro saem para beber, Meg e Erick fumam maconha e todos vão para uma ponte que só serve de tráfego para o trem. 

     Nessa ponte há dez anos um casal tinha ido lá para namorar e  foram atropelados pelo trem. Meg achava essa história romântica e sabia que jamais viveria um amor assim, onde o casal morresse junto. Mórbido, mas Meg é mórbida mesmo.

     Enquanto os quatro estão lá chapados, uma viatura chega de mansinho e o policial dentro dela dá voz de prisão para os quatro.

     Algemados e presos é que vamos conhecer a personalidade de cada um deles.

     Tiffany é uma nerd engraçadíssima, uma querida, uma fofa!! Adorei a garota!! Ela se ilude com qualquer palavrinha de amor, mesmo não sendo verdadeira.

     Brian é o tipo boyzinho tonto. Sem personalidade nenhuma. Já Erick é o filhinho de papai drogado, aquele tipo de garoto que bota o terror na cidade, mas o papai sempre vai limpar as merdas que o filho faz.

     E Meg... Meg é totalmente diferente de todas as protagonistas de YA que já vi. Ela usa roupas sensuais, tem o cabelo azul, tem resposta pra tudo na ponta da língua, fala palavrão, fala tudo o que pensa, só que ela faz o tipo garota má, e tudo que quer é ir embora da cidade. Tem uma relação muito conturbada com seus pais, principalmente com seu pai, que diz palavras duras pra filha sem dó. 

     Na prisão todos os pais aparecem para buscar os filhos, menos os de Meg.

     Para reparar o erro deles, eles são enviados para algumas tarefas estranhas no meu ponto de vista, mas enfim... Meg tem que passar uma semana fazendo ronda noturna junto com o policial que a prendeu. John After.

     
"É verdade que sou alérgica a algemas
e não queria ser ameaçada com uma arma,
mas o cenário em geral tinha o gostinho
daqueles filmes indecentes para adultos
e de repente eu queria muito ser adulta."
Pag. 80


     E é aí que tudo começa.

     John é uma delícia, lindo, charmoso, fofo, mas esconde um problema, claro, sempre tem isso. 

     O que eu gostei no livro é justamente isso! Os dois tem problemas de relacionamento, os dois são jovens, os dois tem muito que aprender e fazem isso juntos da maneira mais atrapalhada possível. 
     O amadurecimento de Meg é crescente a cada página. Aliás, o de todos os personagens. Tiffany é uma graça!!!

     Não tem aquelas cenas picantes como um NA, mas tem romance fofo ♥


"Eu me sentia tímida na frente dele.
Era como se eu o admirasse de longe,
mas soubesse que não tinha nenhuma
chance com ele. De repente desejei
que meu cabelo não fosse azul."
Pag. 69


     A única coisa que não gostei na protagonista é essa encanação com o cabelo azul dela. Ela passa isso como se fosse um ar de revolta, como se o cabelo azul, violeta, lilás, fosse o crachá de garota fácil e punk.
Aí eu puxo essa sardinha pro meu lado. Sempre tive cabelos coloridos, de várias cores, e nunca quis parecer revoltada, ou que vou quebrar a cara de quem se aproximar, ou que sou fácil (o que não sou mesmo). Gente! Ter cabelo colorido ao meu ver é só estilo mesmo!! Significa pessoa que gosta de cores! 

     Fora isso eu adorei!! 

     Não sei se gostei da capa, ainda estou decidindo, não gosto muito desses closes. A diagramação está bem bonita, a parte interna da capa só ficaria mais perfeita se fosse azul, da cor do cabelo da Meg, rs. Encontrei alguns errinhos, mas nada muito gritante.

     A autora escreve muito bem!! Passagens rápidas de um dia para o outro, tudo muito ágil, adoro isso! 

     É narrado em primeira pessoa, o que deixou ainda mais envolvente a leitura, pois Meg é engraçada, seus pensamentos são muito bons.

     Recomendo a leitura para quem curte romances jovens, divertidos, com os dramas peculiares da idade. Leia!!!
    

9 comentários

  1. Hahaha, Lelê, adorei essa sua observação pertinente sobre a cor dos cabelos... talvez a autora queira pontuar de forma incisiva a rebeldia da personagem e se valeu do cabelo azul pra isso, já que não é usual... Admiro quem usa cor diferente, até gostaria, mas não parece comigo, seria forçar a barra...
    Amei essa história! Personagens cheios de conflitos assim me enlouquecem, sao ricos e prometem... espero me envolver na trama tanto assim como voce!
    Beijo!

    Minha resenha novinha aqui: Ler para divertir

    ResponderExcluir
  2. Oi Lê :)
    Que fofo! O livro já tinha me ganhado pela capa, mas havia ficado com o pé atrás por que, né? Depois de um YA que li (vc sabe qual - rs), fiquei muito "assim" com esse gênero. Mas pelo romance, que parece ser fofo, vale a pena arriscar. <3
    Adorei a resenha! E, apesar de não usar cabelo colorido (morro de vontade, mas falta coragem - rs), não vejo também como sinal de revolta.
    Beijocas
    Coisas de Meninas

    ResponderExcluir
  3. Ah, eu não gosto muito de YA não, Lê. Normalmente, nem tem assassinatos. rs
    Brincadeiras a parte, eu até leio esse gênero, mas não é o meu forte. A premissa desse até que não me desagradou, mas não leria no momento. rs
    Também não concordo com a ideia passada sobre os cabelos coloridos.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de junho

    ResponderExcluir
  4. nossa que lindo esse enredo, acho que fica mais real quando ambos tem problemas por que a vida é problemática!
    Echols escreve bem pra caramba e adoraria ler um dos livros dela!
    dica anotada!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi, Flor.

    Primeira vez que vejo sobre este livro, mas sua resenha me deixou muitooo curiosa e espero ler.

    Beijos!
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Lele!
    Muito bom quando podemos ler um enredo onde a protagonista sai do comum e cresce no decorrer do livro. E se tem romance, ainda melhor.
    Achei a capa bonitinha e condizente com o conteúdo, já que não tem cenas picantes e o romance é mais sensual.
    Muito boa resenha.

    Desejo um mês maravilhoso e um final de semana de luz e paz!
    Obrigada pela visita feita ao blog.
    cheirinhos
    Rudy
    Blog Alegria de Viver e Amar o que é Bom!
    “Os ventos que às vezes tiram algo que amamos, são os mesmos que trazem algo que aprendemos a amar... Por isso não devemos chorar pelo que nos foi tirado e sim, aprender a amar o que nos foi dado.Pois tudo aquilo que é realmente nosso, nunca se vai para sempre...” (Bob Marley)
    Blogueiras Unidas 1275!

    ResponderExcluir
  7. Ah, preciso ler esse livro. *-*
    Adorei a história! E concordo, cabelo pintado não é sinal de revolta não, também já tive. rsrs

    bjs
    apenas-um-vicio.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oxe, se a menina não está contente com a cor do cabelo basta pintar, ué.
    Nunca soube que cor de cabelo significa que a pessoa é 'fácil'e blabla.

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Tem tanto tempo que eu quero esse livro mas ainda não tive a vontade de compra-lo, esqueço de tão antigo, parece ser bem legal mesmo tirando o lenga-lenga sobre o cabelo rsrrsrsrs
    Vou por meus livros antigos na frente da leitura, perdendo muita coisa legal.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...