Resenha: Garota Interrompida



Título: Garota Interrompida

Autora: Susanna Kaysen

Páginas: 189

Editora: Única


Compre aqui:  SUBMARINOFNACSARAIVA










      Estou chocada com tudo o que li neste livro. "Garota Interrompida" é um relato real e visceral de uma mulher em busca da sua vida.




" - Conseguimos um leito para você - disse - Você
vai descansar. Só por algumas semanas, certo?"
Pag. 14


     Por ser uma autobiografia sem nada de autoajuda, eu vou tentar ser bem objetiva. Não será nada fácil, pode ter certeza.


"Primeiro, você analisa a frase: 'Estou cansada'. 
Pois bem, será cansaço exatamente? Isso
é o mesmo que sonolência?"
Pag. 88


     Susanna Kaysen, foi internada em um hospital psiquiátrico 'voluntariamente' quando tinha apenas dezessete anos.
     Ela era uma adolescente rebelde, teve alguns namorados, chegou a se envolver com um professor, não tinha muitos limites. Como muitos adolescentes de hoje, Susanna desenvolveu uma depressão. Pois bem, aí é que está a diferença; ela não era como os adolescentes ditos 'normais' que se trancam no quarto e ficam ouvindo musicas tristes e descontando na comida. Susanna tentou o suicídio. Tomou cinquenta aspirinas e foi parar no hospital. Deu tempo de salvar sua saúde física, mas a mental já havia sido abalada.
     Durante a consulta com o psicólogo, ele lhe 'sugere' a internação, e ela 'voluntariamente' se interna.

     Lá dentro é que tudo acontece. Os dramas e loucuras vividas por suas companheiras é de tirar o sossego.

     Estamos falando de um hospital psiquiátrico no ano de 1967 que foi quando tudo aconteceu. Então imagine que os tratamentos são completamente diferentes do que conhecemos nos dias de hoje. Não que eu seja uma conhecedora do assunto, porém, sei que hoje não se usa mais eletrochoques e muito menos enrolar as pacientes com lençóis molhados e gelados para esfriar o ânimo. Hoje isso é absurdo, mas não era naquela época.

     Georgina, sua companheira mais próxima, passa poucas e boas, mas nada parece amedrontá-la. Fora outras tantas, cada uma com suas histórias

     Susanna ainda teve o cuidado de descrever todas as enfermeiras, as funcionárias que tomavam conta delas. Ela as chamou aqui de 'Guardiãs'.


 "Na verdade, eu só queria matar uma parte de mim:
a parte que queria se matar, que me arrastava
para o dilema do suicídio e transformava cada
janela, cada utensílio de cozinha e cada estação
de metrô no ensaio de uma tragédia."
Pag. 46


     Susanna escreveu este livro vinte e cinco anos depois de sua internação, e a cada capítulo ela vai retornando em sua memória e contando como foi seu período de interna e também antes e depois. A maneira como ela narra não deixa nada confuso, é muito fácil entender o que ela diz e a época em que ela está.

     A leitura é rápida, fácil e viciante. Comecei a ler e só parava em momentos que não tinha como retomar a leitura, porém nesses momentos minha cabeça estava em Susanna. Li em um dia, mas poderia ter sido em horas. Vai depender de você ficar obsecado com a leitura ou degustar a narrativa.
     Faça sua escolha.

     A capa do livro é maravilhosa, os detalhes em verniz ficaram incríveis. A diagramação nem se fala. Sou fã do trabalho da Editora Gente, e por isso já imaginava que o selo Única não seria diferente. Não posso dizer que me surpreendi, pois eu já esperava a perfeição.

     Esse é o primeiro livro lançado pelo selo Única, e se for pelo trabalho deles e minha torcida, será um sucesso!!

     Recomendo!!

30 comentários:

  1. Tenho muita vontade de ler essa história. Ela parece ser bem instigante e envolvente, apesar de sórdida em algumas passagens, afinal, o que se esperar de tratamentos psiquiátricos arcaicos????

    ResponderExcluir
  2. Quero ler esse livro, pareceu-me interessante poder saber mais sobre essa história, se ela conseguiu escrever o livro é porque, de alguma forma, ela conseguiu superar essa fase. Gostei da capa!
    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Já tinha ouvido falar desse livro, confesso que tenho muita vontade de lê-lo e sua resenha ficou ótima! ;)
    Lindo seu blog e já estou seguindo...

    Bjs
    theplugados.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Lele!
    Tô bem querendo ler Garota Interrompida. Eu curti a história e sua resenha me deixou com água na boca. Sei bem como é pegar um livro e só parar de ler pq não tem jeito. rs Tô precisando ler algo assim :)
    Beijos, amei a resenha!
    http://www.coisasdemeninasarteiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Esse é um livro interessante que vale a pena ler. Eu vi o filme e também foi perturbador,mas não de um jeito ruim. Realmente ficou muito bem feito o trabalho da Editora Única.

    Milhões de beijos

    www.reticenciando.com

    ResponderExcluir
  6. Oie!
    Lendo sua resenha percebi que esse livro não é nem um pouco parecido com o que a capa me sugeria que fosse! hehe Mas isso não é um ponto negativo pois eu gostei da premissa e o fato de ser um livro escrito por uma pessoa que já vivenciou tal história desperta mais ainda minha curiosidade! Já entrou pra minha lista de desejados <3

    Beeijos,
    iSteh

    ResponderExcluir
  7. Desde o lançamento espero uma resenha dele, o filme é um dos meus favoritos até. Gosto do drama que envolve a psiquiatria (Gostava de falar para meu pai - que queria que eu cursasse medicina - só faço medicina se for para me especializar em Psiquiatria tsc tsc ele não gostava muito da ideia)
    Lendo por aí alguns tempos atrás, vi que o tratamento com choques ainda é usado hoje em dia, só que os médicos meio que não gostam de indicar e parece que é só para casos graves... é meio bizarro o.O
    Voltando a resenha rsrs eu acho que irei gostar desse estilo cru e perturbado da personagem.

    Beijos,
    Jhey
    www.passaporteliterario.com

    ResponderExcluir
  8. Eu achei esse livro super normal, mas o fato de ser uma história verídica levou o livro a outro nível! me incomodou bastante porque eu senti que nada aconteceu, falando de trama...

    www.fernandoreads.com

    ResponderExcluir
  9. Que bom que não vi o filme e nem sabia nada sobre essa história! Prefiro ler o livro sem expectativas nem comparações!
    Adoro histórias assim, que abordem situações reais, por mais incríveis que pareçam!
    Antigamente os tratamentos psiquiátricos não preconizavam uma reabilitação à sociedade, com a inclusão de uma pessoa com transtornos, mas possível de conviver, como é hoje (graças a Deus!). Como sofriam, como eram torturados física e psicologicamente!
    Quero muito ler esse livro!

    ResponderExcluir
  10. Eu assisti ao filme há um bom tempo atrás e gostei muito! Já gostaria de lê-lo só por isso, mas depois dessa resenha "viciante" eu QUERO muito tê-lo em mãos!

    ResponderExcluir
  11. "Garota, Interrompida" é um dos meus filmes preferidos, então obviamente fiquei louca pra ler o livro assim que soube do lançamento. Na verdade eu nem sabia que o filme havia sido adaptado de um livro, só fiquei sabendo com o lançamento pela Editora Única, que até então eu não conhecia. A história dele é sensacional, e como sempre, no livro deve ser ainda melhor. Recomendo o filme pra todo mundo e não vejo a hora de ler o livro. Adorei a resenha! ;D

    ResponderExcluir
  12. Nossa deve ser um livro muito intrigante!Impossível ler a resena e não ficar com vontade de ler.
    Eu já vi a adaptação do livro e gostei muito do filme, é muito emocionante e não deixou nada a desejar creio que o livro deva ser melhro ainda!1
    beijos!
    tamigarotaindecisa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Sabia do livro à uns 2 meses por ai, fiquei muito interessado nele quando lançou e ja tinha lido resenhas. Agora só relembrei. Gosto muito da ideia do livro, parece bem chocante mesmo! Eu gostaria de ter essa experiencia de ler tudo o que está no livro, desses conflitos. Gosto da capa, acho mt linda. E a ideia do hospital psquiatrico é bem interessante, ja me faz imaginar varias cenas :x

    ResponderExcluir
  14. Oi flor!!!
    Acredito que escrever esse livro foi uma ato de coragem. Embora o livro seja um romance, é primeiramente um relato real de todas as angústias, as dúvidas, os medos, os problemas, as experiências da personagem. Susanna nos faz pensar sobre a loucura: até onde ela existe, até onde não existe e o que é, afinal. A personagem nos dá a chave para um diário permitindo-nos espiar seus sentimentos, amarguras e dores.
    Acredito que temos que nos preparar para um final de reticências...
    Quero ler
    Bjus

    ResponderExcluir
  15. Nossa, parece super bom o livro. Parece aquele tipo de livro que vai te prender até a última página. Eu preciso lê-lo :]

    ResponderExcluir
  16. Adorei o livro. Me parece ser muito bom e interessante. Já li resenhas sobre a Garota Interrompida,agora a sua e fiquei muito feliz por gostar do que li. Pra mim este livro é altamente emocional e que nos faz pensar . Beijos.

    ResponderExcluir
  17. Esse tipo de história já teria atrativos suficientes mas saber que se trata de uma história real e que a narradora realmente viveu e sofreu tudo isso já dá uma angústia antes mesmo e começar. Quero ler com certeza.

    ResponderExcluir
  18. Nossa, sempre quis MUITO ler esse livro..pelo filme e historia que me interessam e porque me identifico com a personagem principal, depois dessa resenha quero mais ainda! *-*

    ResponderExcluir
  19. Oi Lele...
    Dá gosto de ver vc empolgada com um livro isso me faz ter mais vontade de ler!
    Sua resenha como sempre direta e passando o que o livro tem de melhor!
    Parabéns :)

    ResponderExcluir
  20. Assisti o filme mas senti lacunas e espero que esse livro as preencha. Muito boa a resenha, achei os trechos selecionados ótimos *-* quero muito ler!
    Como você disse, hoje os hospitais psiquiatricos são diferentes, e creio que tudo aconteceu por esse tipo de relato e denuncia.

    ResponderExcluir
  21. Já tinha lido alguns comentários, mas não havia lido nenhuma resenha. Tampouco assisti o filme. Mas cara, esse livro parece realmente de tirar o fôlego com a história contada. Fiquei bastante curiosa! E fiquei, admito, um tanto quanto chocada com eletrochoques e enrolar as pacientes com lençóis molhados. Putz! A capa é linda, desde que vi pela primeira vez ela me conquistou.

    ResponderExcluir
  22. Agora que li sua resenha, me deu muita vontade de ler este livro. Nunca li nada parecido, mas o teor psicológico me encantou instantaneamente! Gosto de protagonistas excêntricas, que fogem da mesmice, sabe? E parece que "A Garota Interrompida" foge mesmo dos parâmetros comuns. Enfim... Adorei sua resenha; o livro vai para minha meta de leitura com toda certeza.

    ResponderExcluir
  23. Só tenho ouvido elogios sobre esse livro.Pela resenha a história é muito boa, daquelas quando se começa não larga até concluir.

    ResponderExcluir
  24. Amoooooo autobiografia, a historia parece ser muito bacana e envolvente, quero muito ler esse livro!!

    ResponderExcluir
  25. Parece ser super legal, até por se tratar de uma autobiografia. O filme foi muito bom então, acho que o livro deve ser sensacional.

    ResponderExcluir
  26. Esta resenha e este livro me conquistaram.
    Olha isso!:

    "Na verdade, eu só queria matar uma parte de mim:
    a parte que queria se matar, que me arrastava
    para o dilema do suicídio e transformava cada
    janela, cada utensílio de cozinha e cada estação
    de metrô no ensaio de uma tragédia."
    Pag. 46

    Gente, esse livro deve ser perfeito, só pelo quote, um turbilhão de sensações me pegaram, me deixando suuuuuuuuuper curiosa. Nunca li uma autobiografia, e espero que esta seja a primeira que eu vá ler :D
    Abraços,
    Beatriz Aline
    http://hey-bookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
  27. Eu tenho muita vontade de ler esse livro. Parece ser do jeitinho que gosto: um livro simples, mas cheio de significados e que nos dá muitos ensinamentos.
    A resenha ficou ótima!
    Beijos,

    Letícia
    http://www.odomdaescrita.com.br/

    ResponderExcluir
  28. Primeiramente muito legal sua resenha, parabéns! Bem esse livro é mais um daqueles que nos fazem refletir melhor do que fazemos uns com os outros, esse livro deve ser muito difícil de ler, não pela escrita complicada, mas sim pelo jeito que Susanna foi tratada da sua doença mental, deve dar pena demais dessa pobre mulher que só queria se curar de seu problema e foi tratada como um animal na clinica, essas historias nos fazem repensar, espero que mude a visão de algumas pessoas para sociedade.

    ResponderExcluir
  29. Eu sabia da história por causa do livro que a Angelina Jolie fez em 1999, não sabia que existia o livro :o Vou atras dele imediatamente, obrigada novamente pela ótima resenha.. só de ler os trechos postados da vontade de ir correndo comprar o livro e começar agora !

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© To Pensando em Ler - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo